quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Araguaia


O rio Araguaia faz divisa com os estados de Goiás, Mato Grosso, Tocantins e Pará. Possui uma extensão de 2.114 km, considerado um dos mais formidáveis do Mundo. Porém vem sofrendo nos últimos anos com a pesca predatória que tem diminuído o número de peixes nesse rio.  Siga o exemplo dessa família, mesmo pegando pouco peixe faz uma pesca consciente ajudando o rio a sobreviver. 
Altamiro, Martins, Norberto, Izaltino, João Areis. O Nilton estava do outro lado do rio.


Fotos: João Preda


Templo da Boa Vontade

Foto: João Preda

O Templo da Boa Vontade mais conhecido como Templo da PAZ ou Templo dos Espíritos Luminosos e das almas benditas. Exemplifica O Ecumenismo Irrestrito prega o perfeito relacionamento entre todas as criaturas da Terra. O Ecumenismo Total preconiza a fraterna aliança da Humanidade da Terra com a do Mundo Espiritual Superior e com qualquer civilização que possa haver no Espaço.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Resgate da cidadania



Paiva Netto

Originário da campanha permanente da Legião da Boa Vontade contra a fome e pela cidadania — lançada por Alziro Zarur (1914-1979) no fim da década de 1940, com a popular “Sopa dos Pobres” —, o programa socioeducativo Ronda da Caridade da LBV chega aos seus 49 anos de atuação.

Tive o privilégio de participar da Ronda inaugural, em 1/9/1962, no Rio de Janeiro/RJ. Guardo, até os dias de hoje, aquele espírito do começo, perseverando e tendo a honra de ver multiplicada esta equipe que, diuturnamente, levanta das calçadas brasileiros iguais a nós. Lembro-me de que nessa ocasião completava-se o 23° ano do início da Segunda Guerra Mundial, quando Hitler invadiu a Polônia. Com a Ronda da LBV, se fez e se faz o contrário: proclama-se a “guerra” contra o desamparo, a deseducação e a miséria.

Com o passar do tempo aprimoramos a iniciativa, adequando-a aos parâmetros da Política Nacional de Assistência Social (PNAS). Hoje, as ações desenvolvidas com as famílias visam à aquisição do conhecimento de seus deveres e direitos, à percepção de oportunidades e à melhoria das práticas comunitárias, com vista a aumentar a qualidade de vida das gentes por meio de palestras educativas, entrega de refeições e/ou alimentos crus e oficinas de incentivo à busca de novos conhecimentos, de forma que as pessoas atendidas possam exercer efetivamente a cidadania plena. São realizadas, também, atividades lúdicas que estimulam boas atitudes e o relacionamento dentro do grupo, sem esquecer a prece no lar, que traz o conforto espiritual tão necessário nos momentos difíceis.

Minha homenagem a todos os voluntários da Equipe Legionária altruística e ecumênica, que se dedica a amenizar o sofrimento alheio, de modo que vivamos um mundo melhor.

Objetivos do Milênio e a Ronda

É importante ressaltar que os Oito Objetivos do Milênio — estabelecidos pela ONU e subscritos por 192 países, cuja meta é trabalhar vários pontos, desde a erradicação da pobreza e da fome até a preservação do meio ambiente — alinham-se de maneira peremptória com os princípios da vanguardeira atuação da LBV.

Super RBV

Coincidentemente, em 1992, num 1/9, iniciei a programação 24 horas da Super Rede Boa Vontade de Rádio, no Brasil, no exterior e também pela internet*. Por sinal, o surgimento da LBV deu-se a partir do famoso Hora da Boa Vontade, que Zarur estreou na Rádio Globo, do Rio de Janeiro, a 4 de março de 1949.

Ao longo desses anos, a Super RBV caracterizou-se pelo pioneirismo de veicular, de hora em hora, uma Prece Ecumênica. Com uma grade diversificada (esporte, cultura, jornalismo e utilidade pública), a maior audiência fica por conta da mensagem do Evangelho-Apocalipse de Jesus, explicado em Espírito e Verdade à luz do Mandamento Novo do Cristo Ecumênico: “Amai-vos como Eu vos amei”.

* Super Rede Boa Vontade de Rádio — Rede radiofônica criada por Paiva Netto, que hoje conta com emissoras interligadas via satélite e conectadas permanentemente à internet: www.boavontade.com

José de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com



Mensagem a Garcia


Paiva Netto

Alguns leitores que me honram com sua paciência solicitaram a apresentação de uma história contada por Elbert Hubbard, que publiquei no primeiro volume de “O Brasil e o Apocalipse” (1984). Trata-se da página “Mensagem a Garcia”, um eloquente convite àqueles que se queixam do estado do mundo, mas que continuam sentados no sofá, para que tenham maior espírito de decisão.



“Um homem se destaca no horizonte de minha memória como o planeta Marte no seu periélio.

“Quando irrompeu a guerra entre a Espanha e os Estados Unidos, o que importava a estes era comunicar-se rapidamente com o chefe dos insurretos, Garcia, que se sabia encontrar-se em alguma fortaleza no interior do sertão cubano, mas sem que se pudesse precisar exatamente onde. Era impossível um entendimento com ele pelo correio ou pelo telégrafo. No entanto, o presidente tinha de assegurar-se da sua colaboração, e isto quanto antes. Que fazer?

“Alguém lembrou: ‘Há um homem chamado Rowan; e se alguma pessoa é capaz de encontrar Garcia, há de ser Rowan’.

“Rowan foi trazido à presença do presidente, que lhe confiou uma carta com a incumbência de entregá-la a Garcia. De como esse homem, Rowan, tomou a carta, meteu-a num invólucro impermeável, amarrou-a ao peito e, após quatro dias, saltou de um barco sem coberta, alta noite, nas costas de Cuba; de como se embrenhou no sertão para, depois de três semanas, surgir do outro lado da ilha, tendo atravessado a pé um país hostil, entregando a carta a Garcia — são coisas que não vêm ao caso narrar aqui pormenorizadamente. O ponto que desejo frisar é este: Mac Kinley deu a Rowan uma carta destinada a Garcia; Rowan tomou-a e nem sequer perguntou: ‘Onde é que ele está?’.

“Hosana! Eis aí um homem cujo busto merecia ser fundido no bronze imarcescível e sua estátua colocada em cada escola do país. Não é de sabedoria livresca que a juventude precisa, nem de instrução sobre isto ou aquilo. Precisa, sim, de um endurecimento das vértebras, para poder mostrar-se altiva no exercício de um cargo; para atuar com diligência; para dar conta do recado; para, em suma, levar uma mensagem a Garcia.

“O general Garcia já não é deste mundo, mas há outros Garcias. A nenhum que se tenha empenhado em levar avante uma empresa em que a ajuda de muitos se torne precisa têm sido poupados momentos de verdadeiro desespero ante a imbecilidade de grande número de homens, ante a inabilidade ou falta de disposição de concentrar a mente numa determinada coisa e fazê-la.”



AMAI-VOS UNS AOS OUTROS

O Mandamento Novo de Jesus, Lei de Solidariedade Planetária — “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho segundo João, 13:34 e 35) —, é uma Mensagem a Garcia dirigida a ainda milhões de surdos morais ou amantes da Lei de Talião. Não foi à toa que num instante de amargura Gandhi (1869-1948) declarou: “Olho por olho, e a Humanidade acabará cega”.

Acreditamos no Amor e na Justiça iluminada pelo Novo Mandamento. Porém jamais pregamos a acomodação. Há que se promover a Esperança neste planeta, a Paz de Deus, tranquilidade e segurança ao Espírito, ainda apenas tangenciadas pelos acordos internacionais, em geral obedientes a interesses díspares, fontes de tantos conflitos. Contudo, o Ser Humano chegará lá... Ele, em virtude de uma saudável teimosia em continuar habitando a Terra, adquiriu paranormal capacidade de sobreviver às mais agudas crises da sua História, entregando no momento certo, quando tudo parece perdido, a sua Mensagem a Garcia.



José de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com









sexta-feira, 26 de agosto de 2011

LBV na Semana da Pátria


 Paiva Netto

Conforme informei neste espaço, a Liga da Defesa Nacional (LDN-RS), entidade que organiza a Semana da Pátria, e o governo do Rio Grande do Sul homenageiam este ano, no tema estadual, a Legião da Boa Vontade e, no nacional, o padre e inventor brasileiro Landell de Moura (1861-1928).
Alunos da rede municipal e estadual de ensino e diversas instituições gaúchas pesquisarão sobre a história e os programas socioeducacionais da LBV, que, no decorrer de 61 anos, prima pelo civismo e pelo desenvolvimento da cidadania ecumênica. Aliás, no mês de setembro, a LBV participará, como faz todos os anos em várias regiões do país, dos desfiles cívicos estudantis e militares, levando às ruas sua mensagem de Paz e, à frente do pelotão legionário, a majestosa estampa de Jesus, o Cristo Ecumênico.

Programação
Os eventos da Semana da Pátria começaram no domingo, 14/8, em Glorinha/RS, com a 74a edição da Corrida do Fogo Simbólico da Pátria. No mesmo dia, à tarde, a chama foi recebida em Porto Alegre, na Usina do Gasômetro. Na ocasião, o prefeito José Fortunati assim se pronunciou: “Sabemos que a Chama do Fogo Simbólico da Pátria sempre significou o conhecimento, o saber, a esperança de nova vida. E é isso que queremos, que a Chama Simbólica de 2011, em Porto Alegre, signifique conhecimento, saber, tolerância e uma sociedade nascida da Espiritualidade, da Solidariedade, cada vez mais humana, enfim, na qual as pessoas possam conviver em melhores condições”.
A respeito da homenagem à LBV, Fortunati comentou: “Mais do que justa. A LBV tem, ao longo de sua história, construído, especialmente, um trabalho social da maior importância, que tem se enraizado no país, que alcança crianças e adolescentes em situação de risco social. Tem feito um trabalho espiritual para todas as idades, e acho que esse reconhecimento vem exatamente ao encontro da expectativa de todos. Que a gente possa, através de instituições sérias, como no caso da LBV, realmente consolidar um país mais justo e mais solidário”.
Em 27 de agosto, sábado, o Coral Ecumênico Infantil Boa Vontade abrirá o Dia Cívico na Escola Municipal Passarinho Dourado, onde estarão representadas outras instituições e escolas de Porto Alegre.
No dia primeiro de setembro, quinta-feira, o governador Tarso Genro fará a abertura oficial da Semana da Pátria em todo o Estado. Na capital gaúcha, pela manhã, no Monumento ao Expedicionário, e no período da tarde no Memorial do Rio Grande do Sul, um representante da LBV também se pronunciará. Uma mostra sobre os homenageados, com o título “Nós Brasileiros”, organizada pelas Secretarias de Educação do Estado e do Município e diversas entidades, será aberta, nesse dia, pelo governador. A exposição irá até 11 de setembro.
Em Santo Ângelo, o desfile cívico estudantil ocorrerá no domingo, 4/9, e a parada militar, na quarta-feira, 7/9. Ambos, na Av. Marechal Floriano.
A Semana da Pátria se encerrará na quarta-feira, 7/9, com o Desfile da Independência, na Av. Loureiro da Silva. Nesse dia, além de desfilar, jovens da LBV farão a Guarda do Fogo Simbólico da Pátria no Monumento ao Expedicionário, no Parque da Redenção, na capital do Estado.
Minha saudação aos que se esmeram para o sucesso desses eventos. E meus agradecimentos à Liga da Defesa Nacional e ao governo gaúcho pelo expressivo gesto de apreço e reconhecimento ao trabalho da LBV.
Força armada e civil, tudo é Brasil!

Professor Niskier
Agradeço ao ilustre educador Arnaldo Niskier as publicações que gentilmente me encaminhou. Entre elas, o “Jornal de Letras”, do qual é diretor responsável, e a “Revista do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE/Rio)”. Trabalhos que primam pela excelência na Educação e na Cultura. 
Por sinal, o professor Niskier, que é também presidente do Conselho de Administração do CIEE/Rio e membro da Academia Brasileira de Letras, foi agraciado recentemente com o Prêmio Personalidade Cidadania 2011, uma iniciativa da “Folha Dirigida”, do Centro de Informação das Nações Unidas e da Associação Brasileira de Imprensa.
Ao nosso caro amigo, os parabéns da LBV.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

Tempo de repensar no divã


Paiva Netto
 Na quinta-feira da próxima semana, 1o de setembro, lançarei o livro “Jesus, o Profeta Divino”, durante a 15ª edição da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, no Riocentro. A festa literária se prolongará até o dia 11.
Trata-se do quarto volume da série de palestras “O Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração”, a qual proferi a respeito do Apocalipse no rádio e na TV.
“Jesus, o Profeta Divino” é mais uma contribuição aos que discutem seriamente o tema profético acerca do Fim dos Tempos.
O Cristo, os profetas bíblicos, os vates das religiões e muitos pesquisadores, crentes ou ateus, cada um a seu modo, falam sobre ou analisam a possibilidade de uma grande mudança ou monumental reforma em tudo o que conhecemos como sociedade e aspecto físico deste orbe.
Apresento despretensiosamente no livro elementos dessas transformações. Elas se realizarão, creiamos nós ou não creiamos nelas? Quando?! Não sei... porém deixo à reflexão dos estimados leitores.
O Tempo das grandes mudanças, no entanto, pode estar em pleno curso. Elas são inevitáveis, desde as simplesinhas às mais complexas?
Muitos estremecem ante a perspectiva da escassez e do alto preço dos alimentos; da falta de água potável; do fim do petróleo; da explosão populacional; do ferimento da camada de ozônio; do aquecimento global; da forte queda da umidade relativa do ar, afetando garganta, narinas, olhos, cabeça — os pais das crianças que o digam... —, entre outras ameaças.

O centro da Economia Altruísta
Na entrevista que concedi ao meu velho amigo Paulo Parisi Rappoccio, jornalista italiano, radicado no Brasil, em 10 de outubro de 1981, reafirmo:
(...) O ser humano, com seu Espírito Eterno, é o centro da Economia Altruísta, a geratriz de todo o progresso. Sem ele, não há o trabalho nem o capital.
A riqueza de um país está no coração do seu povo. No entanto, nações inteiras ainda sofrem miséria. Convém lembrar que barrigas vazias e Espíritos frustrados geralmente não estão dispostos a ouvir. (...)
Numa época em que pelo avanço da tecnologia as expectativas de produção ficam ultrapassadas, a fome é realmente um escândalo! Não somente a do corpo, como também a de conhecimento, isto é, Educação, sem a qual nenhum povo é forte. Anacronicamente, nunca o mundo conheceu, por um lado, tanta fartura e, por outro, tanta miséria. Está faltando Solidariedade à Economia. Até que o último dos seus filhos tenha as condições mínimas para uma vida digna, qualquer país não será uma nação independente, mas apenas escrava das limitações que a si mesma se impõe. Os impedimentos de ordem interna são mais prejudiciais ao progresso de sua gente que os de ordem externa (...). Se um povo não se prepara, como ele vencerá?

Profundas reformas
Vejam o que ocorre, agora mesmo, no campo econômico-financeiro, por consequência social, a partir da mais potente nação da Terra na atualidade, os Estados Unidos, sem falar na Europa. O capitalismo está se repensando no divã, lugar por onde ainda passa o socialismo.
Alziro Zarur (1914-1979) costumava dizer, há mais de cinquenta anos, que o poder se tornaria fluídico nas mãos dos poderosos. E assim escaparia entre os dedos deles.
Hoje, século 21, os Estados nacionais flagrantemente não têm mais a força de outrora. Poder-se-ia afirmar que “o mundo está à beira de um precipício”. Mas isso é um velho chavão. Todavia, certos conceitos vão mudar profundamente. Aliás, já estão sendo revistos.
Vivemos tempos de crise e esta sempre implica alguma modificação, no decorrer dela ou em seguida.
Endereço da 15a Bienal do Livro — Riocentro, Av. Salvador Allende, 6.555, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Bastos Tigre






Paiva Netto

No último dia primeiro, completaram-se 54 anos do retorno do jornalista pernambucano Manuel Bastos Tigre (1882-1957) ao Mundo Espiritual. Um brasileiro de muitos talentos, além de outras funções, destacou-se como bibliotecário, poeta, compositor, humorista e publicitário.

Em homenagem a ele, pois os mortos não morrem, trago-lhes um dos seus poemas de que mais gosto. Está publicado na “Antologia da Boa Vontade” (1955). É um incentivo aos que sabem perseverar na construção de um mundo melhor, incluídos os dedicados Pais, na Terra e no Céu da Terra, que no próximo domingo receberão o carinho e o reconhecimento dos amados filhos.

A VITÓRIA DA VIDA

“Pobre de ti se pensas ser vencido!/ Tua derrota é caso decidido./ Queres vencer, mas como em ti não crês,/ Tua descrença esmaga-te de vez./ Se imaginas perder, perdido estás./ Quem não confia em si, marcha pra trás;/ A força que te impele para a frente/ É a decisão firmada em tua mente.

“Muita empresa esboroa-se em fracasso/ Inda muito antes do primeiro passo;/ Muito covarde tem capitulado/ Antes de haver a luta começado;/ Pensa em grande, e os teus feitos crescerão;/ Pensa em pequeno, e irás depressa ao chão./ O querer é o poder arquipotente./ É a decisão firmada em tua mente.

“Fraco é aquele que fraco se imagina;/ Olha ao alto o que ao alto se destina;/ A confiança em si mesmo é a trajetória/ Que leva aos altos cimos da Vitória./ Nem sempre o que mais corre a meta alcança,/ Nem mais longe o mais forte o disco lança,/ Mas o que, certo em si, vai firme e em frente,/ Com a decisão firmada em sua mente”.

Usemos essa determinação em prol de uma causa digna e justa. A questão é querer fazer; fazer, mas fazer certo.

FOME E ARMAGEDOM

O Portal das Nações Unidas no Brasil criou um site especial (www.onu.org.br/chifredaafrica/), totalmente em português, com o objetivo de chamar a atenção para a pior crise humanitária em décadas na região conhecida como Chifre da África (Somália, Etiópia, Eritreia, Djibuti e Quênia). Segundo a ONU, mais de 12 milhões de pessoas enfrentam grave escassez de alimentos, provocada pela pior seca dos últimos 60 anos. O problema ainda é agravado por conflitos entre o governo somali e forças rebeldes.

Destaca o site que, “no sul da Somália, há 2,8 milhões de desnutridos, dos quais 1,25 milhão são crianças. Em áreas agropastoris, até 20 a cada 10 mil crianças de até 5 anos morrem diariamente e o índice de desnutrição infantil aguda chega a 50%. Dezenas de milhares de pessoas morreram e mais vidas estão em risco. Quase metade da população — 3,7 milhões de pessoas — precisa de assistência humanitária”.

Em 28/7, o Ministério das Relações Exteriores comunicou que o Brasil enviará 53 mil toneladas de alimentos para os locais atingidos pela estiagem. A doação deve seguir nos primeiros dias de setembro, em dois grandes navios graneleiros. A Agência Brasil divulgou que “a Somália receberá 38 mil toneladas, enquanto 15 mil toneladas serão encaminhadas a campos de refugiados na Etiópia. De acordo com o coordenador-geral de Ações Internacionais de Combate à Fome do Itamaraty, Milton Rondó Filho, inicialmente, os países receberão apenas feijão e milho. O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) vai intermediar a doação”.

Eis um drama que demonstra a urgente necessidade de revestirmo-nos, cada vez mais, do espírito solidário, caritativo, tendo como princípios básicos de convivência o respeito e o cuidado para com a sagrada pessoa humana, independentemente da cor da pele, da nacionalidade, do idioma ou do que mais o seja. Não levantemos diques que obstruam o rumo natural dos povos à confraternização. O planeta Terra continua sendo a mesma morada para todos. O Armagedom da fome está logo ali para muita gente.


José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com