segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Há 62 anos ocorria a primeira Cruzada de Religiões Irmanadas; relembre


Matéria Extraída do Portal Boavontade.com
Há exatos 62 anos (7 de janeiro de 1950) ocorria a pioneira Cruzada de Religiões Irmanadas*¹, gigantesco degrau alçado no campo da convivência inter-religiosa e que estabelecia as bases que deram origem à Religião de Deus, a religião ecumênica do Brasil e do Mundo. A primeira edição do histórico acontecimento ocorreu no salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na capital fluminense, após sucessivas reuniões preparatórias realizadas no mesmo local, nos meses de outubro, novembro e dezembro de 1949, na sala da diretoria daquela prestigiada Associação
0
   Foto: Arquivo LBV
Em 7 de janeiro de 1950, Alziro Zarur comanda a primeira reunião ecumênica da Legião da Boa Vontade, a Cruzada de Religiões Irmanadas, pela qual pioneiramente preconizava o interrelacionamento religioso. Ela foi realizada no Salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro/RJ, da qual Leopoldo Machado foi um dos oradores. Na foto superior, ao lado direito de Zarur, que aparece em pé, Teles da Cruz (Catolicismo), à esquerda Murilo Botelho (Esoterismo) e Ascânio Farias (Positivismo).

Naquele histórico 7 de janeiro, Alziro Zarur (1914-1979) — proclamador da Religião Divina, que fundara a Legião da Boa Vontade seis dias antes (em 1º de janeiro, no Dia da Confraternização Universal) —, convocou e dirigiu a memorável sessão, que reuniu representantes de diferentes segmentos e campos do saber humano da época, com o intuito de conciliar os mais diversos pensamentos em torno do Amor Fraterno, sintetizado no Novo Mandamento de Jesus, o Cristo Ecumênico — "Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos" (Evangelho do Cristo segundo João, 13:34 e 35). Com isso, era iniciado no Brasil o diálogo fraterno e sem restrições, congregando religiosos, ateus e todas as ciências e filosofias humanas.

Na ocasião, falaram sete oradores dos mais diversos segmentos: Salustiano César, reverendo protestante; Teles da Cruz, católico; Murilo Botelho, esotérico; Leopoldo Machado, espírita; Eugênio Figueiredo, livre-pensador; Samuel Linderman, judeu; e Ascânio de Farias, positivista.

Dali em diante, o ideal de solidariedade, altruísmo e ecumenismo sem fronteiras se expandiu, conquistando corações e harmoniosamente congregando pensamentos de religiosos, filósofos, cientistas e ateus. Crescia a cada reunião no Salão da ABI o número de pessoas presentes. Herbert Moses (1884-1972), o empreendedor presidente da Associação Brasileira de Imprensa, que construiu a famosa sede da heroica Casa do Jornalista, surpreso com o sucesso daqueles encontros, declarou: “Zarur fez um verdadeiro milagre juntando tantos inimigos cordiais na LBV”.
0
Repercussão na mídia impressa cariocaDada a relevância do fato, grande foi o destaque nos meios de comunicação. Na época, janeiro de 1950, O Globo, do jornalista e empresário de mídia dr. Roberto Marinho (1904-2003), publicou dois editoriais, saudando o nascimento da Legião da Boa Vontade, que, naquele tempo, tinha como sede uma pequena sala num prédio da Rua do Acre, 47, no centro do Rio de Janeiro. Um dos textos, publicado em 26/1/1950, registrou: "Há um aspecto, na recente criação da LBV, que merece ser assinalado e posto no devido relevo. Trata-se da verdadeira confraternização de todos os credos religiosos que se processou no referido movimento, destinado, sobretudo, a amparar moral e materialmente os enfermos e necessitados. (…) Não são comuns acontecimentos desta ordem nem frequentes mobilizações de tamanha envergadura moral. (…)".
  • 0
O acontecimento também foi noticiado pelo saudoso jornalista Benedito Mergulhão, em A Noite, edição de 8/6/1956, na qual registrou: "Considerando que todas as religiões desempenham um papel preponderante no aperfeiçoamento espiritual do Homem, a LBV teve a feliz iniciativa de reunir representantes de todos os credos que se professam nesta capital e, confraternizados, cada um de per si expor as bases das respectivas doutrinas. Dessa forma, a Legião da Boa Vontade levou a efeito, em outubro, novembro e dezembro de 1949, reuniões em que falaram representantes do catolicismo, protestantismo, espiritismo, budismo, maometismo, positivismo, bramanismo, judaísmo, esoterismo, umbandismo etc.".
 
Ideal ecumênico
A Religião de Deus, Religião do Amor Universal, tem sua doutrina fundamentada na Ordem Suprema de Jesus e, por esse princípio de Paz, ela se apresenta ecumênica por excelência, agindo como campo neutro a "unificar todo o conhecimento espiritual-humano em uma poderosa força a serviço dos povos", conforme define José de Paiva Netto, presidente-pregador da Religião do Amor Universal.

Viva, na Religião de Deus, este Ideal sublime de concórdia e humanidade: o Ecumenismo sem restrições. Conheça a Igreja Ecumênica mais próxima de você. Informações pelo telefone 0300 10 07 940 (custo de uma ligação local mais impostos).

____________
*¹ Saiba mais no livro Paiva Netto e a Proclamação do Novo Mandamento de Jesus — A saga heroica de Alziro Zarur na Terra, pp. 207 a 213.

Nenhum comentário:

Postar um comentário